5 degustações e visitas à vinícolas que valem a pena!

Além de viagem, vinho é outra de nossas paixões. Se pudermos unir vinho e viagem então...fica perfeito!

Não somos experts, sommeliers ou algo do tipo, apenas apreciamos, e aprendemos a cada taça.

Vamos listar 5 degustações que fizemos pelo mundo, para os amantes de vinho e viagem como nós também aproveitarem!



5. Quinta da Pacheca - Portugal


Portugal vem cada vez mais ganhando visibilidade pelos seus vinhos, e não mais somente pelos tradicionais vinhos do Porto, os vinhos tintos também tem mostrado excelente qualidade e estão conquistando o mundo.

Na nossa viagem a Portugal o vinho esteve muito presente, lá os preços são bem acessíveis e as variedades são grandes de tintos, brancos, vinhos do Porto e os também famosos vinhos verdes.

Tiramos um dia para a visitação do Vale do Rio Douro, que e é considerado uma das rotas mais românticas de Portugal.

Escolhemos a Quinta da Pacheca para visitar, que é uma vinícola que fica a cerca de uma hora e meia de trem da cidade de Porto. Era fevereiro, o clima não estava dos melhores, mas mesmo assim o passeio de trem foi muito bonito. O Rio Douro percorrendo os vales e nas montanhas as plantações de uva com algumas oliveiras dominavam a paisagem.

Vale do Rio Douro - Quinta da Pacheca
Quinta da Pacheca

Chegando na vinícola, já havíamos reservado tour e degustação, então iniciamos as atividades no horário marcado, começando pela visita.

E como é bom entrar na cave e sentir o aroma da uva fermentando e o cheiro de carvalho das barricas.

Quinta da Pacheca

Ali aprendemos um pouco sobre a história do vinho em Portugal, e sobre a técnica ainda utilizada nesta Quinta, que é a maceração da uva através da pisa, algo que nos meses de agosto e setembro atrai muitos turistas que podem participar da atividade, que acaba sendo uma grande festa. Na foto a seguir as “banheiras” de concreto onde ocorre o processo. E é claro que ficamos com vontade de voltar na época de fazer isso!

Tanques de pisa de uvas na Quinta da Pacheca

Terminada a visita, iniciamos a melhor parte: a degustação dos vinhos produzidos ali, e, claro, acreditando que as pessoas lavam bem os pés antes da pisa das uvas rsrsrsrs.

Degustação na Quinta da Pacheca

Como havia poucos turistas, a degustação foi feita no próprio balcão da lojinha.

Não havia harmonização, foi servida apenas a sequência de vinhos, com explicações pelo enólogo da vinícola das melhores combinações.

Há outros tipos de experiências possíveis lá, como piquenique nos dias mais quentes e experiências culinárias, em que se aprende sobre os pratos portugueses.

Degustação na Quinta da Pacheca

A quinta também tem um hotel com um restaurante espetacular, com uma vista para as montanhas e os vinhedos e um cardápio muito bom, onde depois do passeio fomos almoçar. E, é claro, tomar um pouco mais de vinho.

Restaurante na Quinta da Pacheca

Os pratos eram bem mais caros do que na maioria dos outros restaurantes que fomos em Portugal, mas estavam muito bons e, pelo lugar, valeu a pena!



4. Concha Y Toro - Chile


O vinho chileno é muito popular no Brasil, devido ao seu bom custo-benefício, pois muitas vezes é mais barato que o próprio vinho brasileiro, e significativamente mais em conta que o europeu.

A Concha Y Toro talvez seja a mais conhecida vinícola chilena pelos brasileiros, muito pelo famoso “Casillero del Diablo”, que é encontrado em muitos estabelecimentos que vendem vinhos no Brasil. Então na nossa primeira viagem para Santiago, foi a vinícola escolhida, entre tantas outras, para aprender um pouco sobre os vinhos chilenos.

Para quem está no centro de Santiago, “turistando” por conta, basta pegar um metrô até a estação “Las Mercedes” e mais um pequeno trecho de taxi para chegar na Concha Y Toro.

Visita à Concha Y Toro

Para o tour e degustação, é necessário o agendamento prévio da data e horário.

A vinícola fica em uma propriedade muito bonita, com belos jardins, à beira do Rio Maipo. O passeio começa com uma boa caminhada e explicações da história da vinícola e do vinho no Chile, que, apesar de ser produzido há quase 500 anos ganhou notoriedade mundial apenas nas últimas décadas.

Visita à Concha Y Toro

Depois dos jardins, chega-se às plantações de uvas, num terreno desértico ao pé das montanhas, o que dá um toque especial ao local.

Visita à Concha Y Toro

Fomos em fevereiro, época em que as uvas estão maduras, então foi até possível provar algumas direto do pé.

Uvas na Concha Y Toro

Depois visitamos a cave, muito organizada e com muitos barris!

Cave da Concha Y Toro

E não podia faltar a tradicional foto com o símbolo do local...cantinho especial onde fica a reserva de vinhos da família, dona da vinícola.

Concha Y Toro

Há duas opções de tour: o tradicional, em que é feita a visitação das áreas externas, então é feita a degustação de vinho brancos, depois a visita das caves, e, em seguida, a degustação de vinhos tintos. Há opção de guia em português nesta categoria. A segunda opção de tour é mais completa, havendo também harmonização. Em ambas opções, as taças são brinde ao final da degustação.

Degustação na Concha Y Toro

Nós fizemos a visita no período da manhã, então escolhemos a opção sem harmonização, para depois almoçar ali mesmo, no restaurante da vinícola, o que foi muito bom!

E por fim, uma passadinha na loja para comprar alguns vinhos. Quando fomos os preços eram em torno de 50% do preço pago por eles no Brasil, então valia a pena!



3. Bodega Bouza - Uruguai


O Uruguai não tem muita expressão na vinicultura, mas sempre é possível encontrar bons vinhos por lá, até mesmo com a tradicional uva Tannat, que não tem muita popularidade por aqui.

Perto de Montevidéu, cerca de 20km do centro, fica a Bodega Bouza, uma ótima opção para um passeio. É bom reservar meio período do dia. Para chegar na vinícola fomos de táxi, pois em Montevidéu andar de táxi não é caro.

Bodega Bouza

A vinícola conta com uma ampla área externa com gramado e jardins com bancos para sentar e relaxar, aproveitando a calmaria do lugar, um restaurante, loja de souvenirs e uma área com coleção de carros e motos antigas do dono da propriedade.

Coleção de carros antigos na Bodega Bouza

A visita com degustação precisa de agendamento prévio, que pode ser feito via internet.

Uma parte da tour é na área dos carros antigos, onde o pessoal gosta de apreciar com calma.

Depois visitamos uma vinha e ouvimos um pouco da história da vinícola e do vinho no Uruguai. Então chegamos nos tanques de fermentação e na cave.

Bodega Bouza
Cave da Bodega Bouza

Finalmente chega o ponto alto: a degustação com harmonização. E, por sinal, é uma excelente harmonização! Um ambiente muito agradável e um clima aconchegante, os acompanhamentos vão desde pães, patês até presuntos e queijos, e para cada vinho uma boa explicação da melhor combinação e dos sabores e aromas envolvidos.

Degustação na Bodega Bouza

Para comprar vinhos na loja da vinícola achamos os preços um pouco salgados.



2. Macelleria Falorni - Italia


Este lugar não é uma vinícola, é na realidade uma casa de carnes e embutidos, um açougue muito tradicional, no centro da Toscana, mais precisamente em Greve in Chianti, na praça principal.

Macelleria Falorni - Greve in Chianti

Com um clima rústico, bem típico das cidades do interior da Itália, é um lugar muito interessante para se fazer uma degustação por conta de vinhos italianos acompanhados de bons produtos locais.

Macelleria Falorni
Macelleria Falorni

É possível comprar um cartão pré-pago e colocar créditos para consumir em taças de vinho “self-service”. É só selecionar o vinho na máquina e o volume desejado. Assim dá para experimentar vários!

Degustação de vinhos na Macelleria Falorni

Ou simplesmente comprar uma garrafa dentre as centenas de opções e harmonizar com uma tábua de frios...na que escolhemos tinha queijo de ovelha, presunto de javali, salame toscano etc.

Harmonização na Macelleria Falorni

Estava tudo ótimo!! Com certeza é um lugar que vale a pena incluir no roteiro ao passar pela rota do Chianti!


E se quiserem saber mais sobre a Toscana, contamos nossa experiência trabalhando numa vinícola e mais passeios no post: Vinho e viagem: a experiência completa na Toscana


1. Santo Wine - Grécia


Na viagem à Grécia uma degustação de vinhos também não poderia faltar! E que tal uma degustação ao pôr-do-sol?!

Já descrevi esta experiência no blog “Lá Vai o Sol”, quem quiser mais detalhes pode ver neste link:

O sol e os vinhos de Santorini!


Escolhemos a vinícola SantoWine, que possui um restaurante com uma linda vista para a “Caldera”, o vulcão de Santorini. O garçom então nos explicou que poderíamos degustar 6, 12 ou 18 tipos de vinho. Esta foi a parte interessante e diferente das degustações que já havíamos feito: não era um valor por pessoa, mas sim, pela quantidade de vinhos, ou seja, poderíamos pedir quantos vinhos quiséssemos e dividir em 2 para poder experimentar mais...Escolhemos então 12 vinhos, que vieram com petiscos e uma folha com a explicação de cada um. Assim, ficamos livres para degustar e curtir o pôr-do-sol!

Degustação na Santo Wine

Degustação de vinhos ao pôr-do-sol

Achamos um excelente custo-benefício e, portanto, um programa imperdível para quem visita Santorini e gosta de vinho! Sem falar que essa vista no pôr-do-sol não tem preço!

Degustação de vinhos ao pôr-do-sol na Grécia

Estas foram 5 degustações que gostamos bastante! Não incluímos neste post nenhuma vinícola brasileira, porque em breve traremos notícias fresquinhas da Serra Gaúcha com um post exclusivo sobre os vinhos do sul do Brasil!

E você, gostaria de nos contar sobre alguma degustação que fez e gostou muito?! Ficaremos muito felizes com seu comentário!

Posts Em Destaque
Posts Recentes