Um dia pelos Caminhos de Pedra

17 Jan 2018

A serra gaúcha é um destino muito procurado no Brasil, com boa infraestrutura para receber os turistas, onde não faltam programas, seja qual for o número de dias que você estiver pela região. Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves e por aí vai....muitos lugares charmosos para explorar! Os apreciadores de vinho com certeza passarão por Bento Gonçalves, onde está o Vale dos Vinhedos e muitas das vinícolas mais famosas do país.

 

Leia sobre as vinícolas da serra gaúcha em:

 

Serra Gaúcha - Vinícolas Familiares

Serra Gaúcha - Vinícolas Tradicionais

 

Além do Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves há outra região que não pode deixar de ser visitada: Caminhos de Pedra, um cantinho que respira cultura italiana e tranquilidade!

 

O roteiro Caminhos de Pedra é patrimônio histórico do Rio Grande do Sul desde 2009. São 12 km de cultura, gastronomia, arquitetura e muito mais do que os imigrantes italianos trouxeram para a região. Diferente do que se pode pensar num primeiro momento, não é um passeio a ser feito a pé. Existem guias que podem ser contratados, mas também é possível percorrer a rota de carro, por conta própria, e descobrir à vontade os encantos desse lugar lindo!

 

Preparamos uma sugestão de roteiro para passar um dia pelos Caminhos de Pedra, em meio aos costumes italianos, com muitos lugares charmosos e comida boa!!

 

Como chegar:

A cerca de 7 km do centro de Bento Gonçalves fica a Estrada para São Pedro, onde se localiza o “Caminhos de Pedra”. Basta seguir as placas ou colocar no GPS “Caminhos de Pedra”.

No início do trajeto há um posto de informações, um pouco difícil de achar, é uma casinha pequena do lado direito, próxima à Pedrebon. Ali você pode pegar um mapa do local, que também está disponível no site www.caminhosdepedra.org.br ou nos próprios estabelecimentos do local.

 

Quando:

O “Caminhos de Pedra” funciona todos os dias do ano, das 9 às 17:30, com variações nos dias de folga de cada estabelecimento. Atentamos para pequenas variações de horário ao descrever os estabelecimentos a seguir.

 

O roteiro sugerido:

Manhã: Casa da Ovelha

Almoço: Casa Fracalossi

Tarde: Casa da Erva-mate, Casa das Cucas, Salumeria

 

A seguir, descrevemos cada local:

 

Casa da Ovelha

Sugerimos começar o passeio pela Casa da Ovelha, onde há um parque em que é possível participar de atividades como o pastoreio.

Achamos o preço um pouco salgado (50 reais para adultos, 25 para crianças de 6 a 10 anos ou idosos acima de 60, isento de 0 a 5 anos), por isso acabamos não participando das atividades. Para quem tem criança, parece ser bem interessante, pelas atividades de interação com os animais!!

A programação pode variar conforme o dia, por isso sugerimos começar por este local para verificar os horários e se há interesse em passar mais tempo. Mesmo não fazendo as atividades do parque, vale a pena conhecer, pois a loja tem muitas coisas legais e o queijo de ovelha é maravilhoso!!!

 

Quem passar a manhã na Casa da Ovelha pode seguir para o almoço. Se não, sugerimos visitar a Salumeria, descrita adiante.

 

 

Casa Fracalossi

 

Há vários restaurantes no Caminhos de Pedra, um deles é a Casa Fracalossi, que serve café colonial e almoço típico italiano.

A casa, construída toda em pedra basalto, tem o restaurante na parte de baixo e é a moradia da família na parte superior.

O café colonial é servido apenas aos fins de semana, ou mediante reserva antecipada de segunda à sexta. Estava custando 55 reais.

O almoço típico dos imigrantes italianos é bem completo, com polenta, salame, massas, churrasco, sobremesa e etc. Não se preocupe, ninguém vai passar fome!!! Durante a semana custava 48 reais, aos sábados 55 e domingos 65, por ter ainda mais pratos. Achamos um excelente custo-benefício e a comida estava deliciosa!

 

Casa da Erva-mate

Depois do almoço, um bom chimarrão para ajudar na digestão! Na Casa da Erva-mate, da família Ferrari, tem sempre uma cuia pronta, uma não, várias, pois eles inclusive demonstram aos turistas como preparar a bebida.

 

A loja fica na parte de baixo da casa, onde é vendido tudo que está relacionado ao chimarrão, os acessórios, a erva e outras lembranças. É também ali que se compra o bilhete para visitar o local onde é produzida a erva-mate, que fica do outro lado da rua.

O lugar é lindo, encantador, muito bem cuidado!!

Passamos por todo o processo, desde conhecer a planta da erva-mate, a secagem no forno e os socadores, cuja energia antigamente era gerada pela roda d’água e atualmente são elétricos.

 

O valor da visita é de 5 reais por pessoa e vale muito a pena!!

 

 

Casa das Cucas

 

Depois do mate, hora da cuca! A nossa sugestão é passar na casa das cucas, da família Vitiaceri, para um café no meio da tarde, mas se quiser mudar a ordem e ir em outro horário, não tem problema, o importante é não deixar de ir!! As cucas são divinas e o local uma graça, e fica ao lado da Casa da Erva-mate.

Cestos cheios de cucas para você escolher, ou pedir pelo cardápio que conta com outros lanches, espumantes, vinhos e tudo mais...

Experimentamos a cuca de maçã, servida quentinha, desmanchava na boca!

Também é possível fazer um pique-nique no jardim!! E, claro, levar para casa as cucas e outros produtos da região!

Só não deixe para ir muito tarde, pois por volta das 17h podem estar fechando.

 

 

Salumeria

O costume italiano de fazer salame está muito presente no sul do Brasil. Neste local, é possível degustar gratuitamente alguns tipos de salame, como o colonial, milano e de javali. Gostamos de vários e compramos a preços bons!

Também há tábuas de frios, espumantes, vinhos, chopp e cervejas artesanais à venda...

O local é muito agradável, excelente opção para passar um fim de tarde degustando os produtos locais.

Além da gastronomia, também há um parque de aventuras com tirolesa, arvorismo e outras atividades.

Atenção ao horário de funcionamento: de quarta a domingo, das 9 às 18h.

 

 

Outras atrações:

Sobrou tempo? Quer conhecer mais? Há outros lugares muito interessantes:

 

Cantina Strapazzon – lugar onde foi filmado “O Quatrilho”;

Casa do Tomate – produzem até refrigerante de tomate!

Estúdio de foto antiga – foto à moda antiga, como imigrantes italianos.

 

 

Outros restaurantes:

Além da Casa Fracalossi, há outras opções:

 

Nona Ludia – almoço típico, com alguns pratos a mais em relação ao Fracalossi, mas um pouco mais caro, 55 reais por pessoa durante a semana e 60 aos fins de semana, quando também é servido cordeiro. O restaurante fica no porão da casa de pedra, que lembra bem uma cantina italiana;

 

Casa Vanni – não conhecemos, mas é muito bem recomendado. Não abre às quartas;

 

Casa Ângelo – não conhecemos, mas também pareceu interessante.

 

Os restaurantes não ficam abertos até muito tarde, é possível que se procurar por almoço após às 15h não irá encontrar.

 

 

Esta foi nossa experiência no “Caminhos de Pedra”, lugar encantador, que nos fez repensar sobre a vida corrida nas grandes cidades e querer mais tranquilidade, boas comidas, belas paisagens! Esperamos que todos aproveitem nossas dicas e depois nos contem como foi a passagem por lá!

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Please reload

Posts Em Destaque

3 dias em Viena!

14 Nov 2019

1/3
Please reload

Posts Recentes

14 Nov 2019