O enoturismo no Piemonte

25 Nov 2018

Belas paisagens, gastronomia excelente e vinhos incríveis: assim é o Piemonte!

 

Esta região do norte da Itália, cuja capital é Turim, é um destino muito desejado para os amantes de vinho. A quantidade de vinhedos impressiona quem percorre as estradas do interior, avistando pequenas cidades medievais no topo de colinas repletas de parreiras.

Como explorar a região? Vamos descobrir!

 

 

Como chegar?

 

A cidade de Turim fica a 1 hora de Milão de trem. Para então chegar às regiões vinícolas, é possível ir de trem até Bra ou Alba, sendo 1 hora e 1 hora e meia, respectivamente, ou 1 hora de carro até Alba.

Muitas curvas pelo caminho, mas as vistas valem a pena para percorrer de carro! Além de ter mais flexibilidade de horário e ser mais fácil para chegar em hotéis afastados dos centros das cidades.

 

 

Onde se hospedar?

 

Quem prefere ficar mais próximo de restaurantes e comércio, Alba é uma boa opção. Cidade muito charmosa!

 

Hospedagem em Alba -> Booking

 

 

Já quem prefere algo mais tranquilo, mais próximo da natureza, há várias opções de agriturismo.

 

Trata-se basicamente de uma pousada num local onde são realizadas atividades agrícolas, como a plantação de uva ou de outras árvores frutíferas, criação de animais, etc. Em alguns também é possível participar das atividades, colhendo as frutas, por exemplo, mas normalmente é apenas para ficar hospedado. Há opções com o café-da-manhã apenas ou também com as demais refeições.

O site oficial da Itália para pesquisar este tipo de hospedagem é:

www.agriturismo.it

 

Nós ficamos no Agriturismo Al Brich, em Albaretto della Torre, local onde há uma enorme quantidade de árvores de avelã. A famosa “nocciola IGP do Piemonte”, que é a avelã com indicação de origem protegida, é desta região. Na propriedade eram colhidas as avelãs e servidas no café-da-manhã, tanto as sementes tostadas como o creme de avelã. O melhor que já provamos! Divino! Para ter uma ideia, a Nutella tem 13% de avelã, e este tinha 58%!!!

Além disso, outros produtos locais eram servidos, queijos, salames e presuntos deliciosos. Os ovos também eram da casa, tudo feito com muito carinho e num ambiente muito aconchegante.

Os quartos eram simples, confortáveis, com vista para os vinhedos! Infelizmente nos 3 dias que estivemos lá havia uma neblina que não permitiu boas fotos, vamos ter que voltar!!

Foi uma opção econômica e ótima para descansar e comer bem! Ficava próximo da cidade de Barolo, bom local para explorar a região.

www.agriturismoalbrich.it

 

 

O que conhecer?

 

Quem gosta de vinho certamente não pode deixar de visitar a dupla mais famosa do Piemonte: Barolo e Barbaresco!

Ambas são comunas pequenininhas, com pouco mais de 600 habitantes. Ou seja, em menos de 1 dia é possível conhecer cada uma.

 

Barbaresco:

Em Barbaresco há 2 pontos interessantes para visitar: a torre e a enoteca regional.

A torre medieval é um local de onde se tem uma vista panorâmica do vale do rio Tanaro e, em dias de céu limpo é possível avistar os Alpes. Para subir na torre há um elevador e o ingresso é de 5 euros. Não achamos necessário, pois da base da torre a vista já é legal e no dia a visibilidade não estava tão boa.

A Enoteca Regionale del Barbaresco fica dentro de uma igreja! Isso mesmo, levamos um susto ao abrir a porta da igreja e dar de cara com centenas de garrafas no altar!

 

Menos de 300 metros separam a torre e a enoteca pela Via Torino, a rua principal da cidade, bem cuidada e florida...um passeio agradável por restaurantes e lojas de vinho. Ali fica a famosa Gaja, vinícola de renome na produção de Barbarescos!

 

Barolo:

 

Em Barolo é interessante visitar o museu do vinho WiMu, que fica localizado no castelo que era a casa de campo dos antigos reis da Itália. Por isso, diz-se que o Barolo era o vinho dos reis e hoje é o rei dos vinhos!

O museu é bem moderno, interativo, retratando tanto a história da família real como dos vinhos. Fica aberto todos os dias do ano, sendo possível entrar das 10 às 17h. Mais informações em: www.wimubarolo.it.

 

Ao final da visita, a melhor parte: uma infinidade de Barolos a sua espera na enoteca! Há o sistema self-service com cartão, com doses de degustação custando 2 a 4 euros cada. Vale a pena para provar Barolos mais antigos, difíceis de encontrar à venda. É possível entrar na enoteca sem passar pelo museu também.

 

Alba:

 

Em outubro e novembro acontece a feira das trufas brancas em Alba, “Fiera Internazionale del Tartufo Bianco d’Alba”, que reúne amantes desta iguaria do mundo todo.

 

A feira acontece num local específico no centro da cidade aos fins de semana, mas é possível encontrar trufas à venda por toda a parte. Havia algumas sendo vendidas no meio da rua por quase 2 mil reais!

Alba é uma cidade muito agradável para passear e há vários bons restaurantes. A gastronomia do Piemonte está entre as melhores do mundo!

 

 

Turim:

 

Na grande cidade de Turim há um único vinhedo DOC (Denominação de Origem Controlada): é o vinhedo da rainha, na Villa della Regina.

A visita ao palácio da rainha custa 5 euros e pudemos visitar também o vinhedo, pois estava acontecendo um evento chamado “Grapes in Town”, com várias programações por toda a cidade para comemorar o final da vindima. Mesmo se não for possível em outras épocas andar pelo vinhedo, a visita vale a pena, pois o palácio é muito bonito e a vista da cidade melhor ainda!

 

Quais vinícolas visitar?

 

Na hora de planejar a viagem para uma região assim, a gente fica um pouco perdido, porque são muitas opções de vinícolas. A maioria delas são pequenas e nem todas estão preparadas para o turismo. Então começa a busca em blogs, TripAdvisor, Google Maps, Instagram, indicação de amigos... Entrar em contato para agendar as visitas toma tempo e sem agendamento muitas não recebem visitantes. Se você não quer se preocupar com isso, entre em contato que podemos fazer este trabalho e facilitar sua vida!

Vamos contar como foi nossa visita em duas vinícolas do Piemonte:

 

 

Cascina Pontepietra – Drocco Luigi

 

Uma cantina familiar em Alba, que se estabeleceu em 1959 e na década de 80 começou a produzir as uvas brancas Arneis e Chardonnay, diferenciando-se dos demais produtores da região, mais focados nas tintas como a Nebbiolo.

Poucos dias após o término da vindima, em meados de outubro, fizemos a visita acompanhados pelo filho Fabrizio, que nos contou sobre a preocupação ambiental, filosofia que segue o protocolo “The Green Experience”, eliminando o uso de agrotóxicos e usando energias renováveis.

Depois fomos recebidos à mesa pela gentilíssima Dona Silvana para a degustação, acompanhada de pães, queijos e salames.

Degustamos 7 vinhos. Entre Favorita, Chardonnay, Barolo e outros, o novíssimo Alba, rótulo promissor que representa a nova denominação de origem da região. Assim como Barolo e Barbaresco, agora Alba será DOC, e a Drocco Luigi está apta para produzi-lo, seguindo as regras determinadas.

Ainda tivemos a surpresa da chegada do Sr. Luigi Drocco, que sentou com a gente para beber vinho e comer seus queijos favoritos.

Foi difícil ter que ir embora! Mais difícil ainda escolher apenas alguns vinhos para comprar.

 

As visitas precisam ser agendadas por telefone ou e-mail:

https://www.vinidrocco.it/

info@vinidrocco.it

 

 

Agricola Marrone

 

Situada em La Morra, a 4 km de Barolo, a “Azienda Agricola Gian Piero Marrone” está na quarta geração de trabalho nos vinhedos, contando hoje com 22 hectares.

A cantina está aberta para visita todos os dias, das 10 às 17 horas. Para jantar, sob reserva. Há várias opções de degustação, harmonizando com pratos da culinária da região. Também é possível fazer aulas de cozinha com a mamma!

 

Fizemos a visita, seguida de almoço harmonizado em 6 etapas. O almoço foi servido no meio da cantina. Tudo maravilhoso!

Para fechar, não poderia faltar um Barolo! A Agricola Marrone ganhou o prêmio de melhor vinho italiano na Vinitaly 2017 com o Barolo DOCG Bussia 2013! E além deste, os outros vinhos também são muito bons, com destaque para o Pichemej!

Experiência inesquecível, valeu muito a pena!!

 

Para preservar a cantina, evitando as oscilações de temperatura, está entrando em funcionamento uma ala do restaurante com uma vista linda para os vinhedos e para o cedro libanês, símbolo da região!

É possível reservar diretamente pelo site ou através do e-mail:

http://www.agricolamarrone.com

marrone@agricolamarrone.com

 

 

O Piemonte certamente é um lugar que daria para ficar um bom tempo passeando, bebendo bons vinhos e comendo do bom e do melhor!

Estas dicas foram apenas para dar uma ideia de como é uma viagem pela região. Esperamos que tenham gostado e, qualquer dúvida, falem com a gente!!

Compartilhar no Facebook
Please reload

Posts Em Destaque

3 dias em Viena!

14 Nov 2019